segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

a era do imperialismo


Tema 1
                No século XIX, as potências da Europa ocidental promoveram uma expansão imperialista pela África, Ásia e Oceania. Essa expansão européia foi uma das grandes marcas desse período.
           
Crescimento Capitalista
Europa e nos EUA a expansão capitalista pNa ode ser vinculada ao grande desenvolvimento técnico e científico registrado nesse período (1850-1900), que ficou conhecido como Segunda Revolução Industrial.
            Esse período é marcado pelo surgimento de novas tecnologias que aceleraram a produção e reduziram o custo, aumentando o lucro.
            Veja as principais áreas e seus avanços

Capitalismo Financeiro e Monopolista
Nessa fase a economia foi marcada pela concentração do capital e das associações de empresas. Esse movimento acabou gerando os monopólios industriais, representados por:
a.     Cartel: grupo de grandes empresas que estabelecem entre si um acordo com o objetivo de controlar os preços ou o mercado de um determinado setor.
b.     Holding: empresa que detém o controle acionário sobre outras empresas, embora elas mantenham denominação própria e independência.
c.      Truste: fusão de diversas empresas do mesmo ramo.

Nessa fase os bancos se associaram às grandes empresas para financiar seus investimentos e participar dos lucros. A isso chamamos de capitalismo financeiro e monopolista, suas principais características são:
- O aumento da produção industrial, que, para ser vendida, necessitava da ampliação dos mercados consumidores;
- O acúmulo de capitais, que passaram a ser investidos em novos projetos lucrativos.

Tema 2
         Energia: Novas fontes como petróleo e eletricidade foram substituindo o carvão. Siemens foi o principal personagem ao inventar o Dínamo, em 1867.

: transforma Dínamo ou gerador energia mecânica em elétrica.


2. Inovação do Aço: novos métodos de produção, inventados por Henry Bessemer, em 1856, baratearam sua produção em larga escala, reduzindo seu preço.


3. Transportes: Invenção de novos meios de transporte como a locomotiva elétrica (1879), motor a gasolina (1884), automóvel (1885) e do motor a diesel (1897). Além do surgimento da aviação com Santos Dumont.

Alberto Santos Dumont

14 bis, avião inventado por Santos Dumont.


4. Comunicação: Invenção de novos meios de comunicação como o telégrafo (1837), a fotografia (1839), o telefone (1876), o fonógrafo (1877), do cinema (1895) e o rádio (1897).

Telégrafo                                              Telefone
Fonógrafo
Rádio

Fotografia
Cinema

Tema 3            Neocolonialismo
Necessidade de escoar a produção esbarra em políticas protecionistas, a solução é buscar novos mercados consumidores em diversas partes do mundo: África, Ásia e Oceania.

IMPERIALISMO
         Imperialismo foi motivado por fatores políticos, econômicos e culturais, ou seja, é a política de dominação junto com a necessidade econômica de uma nação sobre outras, acompanhada ou não de ocupação territorial, com maior ou menor ingerência nos assuntos de estado das nações dominadas e com uso eventual de força militar para garantir a hegemonia.
         Usado a partir do final do século XIX, o termo imperialismo define, na atualidade, as relações econômicas dos países desenvolvidos com os países pobres e se confunde com "dependência" e "neocolonialismo".
Colonialismo X Neocolonialismo    C                                            e eram:
         As características biológicas da “raça branca”
         A fé religiosa (cristianismo)
         O desenvolvimento técnico e científico



               















Uma das principais justificativas para o neocolonialismo do século XIX era a “Missão Civilizadora”, cujos três elementos base eram:
         As características biológicas da “raça branca”
         A fé religiosa (cristianismo)
         O desenvolvimento técnico e científico
           
            Com base em idéias racistas e preconceituosas, criaram-se argumentos para justificar a exploração dos diferentes povos dominados. Veja o trecho a seguir:

“Para os países industriais exportadores, a expansão colonial é uma questão de salvação.
                Em nosso tempo, e diante da crise que atravessam as indústrias européias, a fundação de colônias representa a criação de uma válvula de escape para nossos  problemas. (...)
            Devemos dizer abertamente que nós, pertencentes às raças superiores, temos direitos sobre as raças inferiores. Mas também temos o dever de civilizá-las.”
Jules Ferry – discursos políticos (1884).

Poderio Político-Militar e Segurança Nacional

A luta internacional pelo controle de matérias-primas, novos mercados e a necessidade de exportação de capitais geraram problemas financeiros mas também políticos.
            Os governos passaram a estimular a expansão colonialista por questões estratégicas. Assim, as conquistas assumiram grande importância em termos de poderio militar e de segurança nacional.

         Procura de novas fontes de matéria-prima (ferro, cobre, petróleo, trigo, algodão, etc.);
         Procura de novos mercados consumidores;
         Grande aumento populacional registrado na Europa, o que fez com que se procurassem novas áreas para o excesso de habitantes que continuariam a ser cidadãos de seus países de origem;
         Busca de bases estratégicas;
         Os capitais excedentes poderiam ser aplicados de forma lucrativa nas regiões periféricas;

         desenvolvimento de ideologias racistas que afirmaram a “superioridade” da raça branca; D
         Crença no progresso e o chamado darwinismo social (só os mais fortes devem sobreviver). Os progressos tecnológicos, particularmente nas comunicações.
     O uso do barco a vapor foi de vital importância na conquista da África.
     No campo militar, a metralhadora foi o símbolo da conquista;
         

A partilha da África

         Conferência de Berlim (1885-1887)
       Não levou os interesses africanos em conta
       Fronteiras artificiais
       90 % do território ocupado
       Introdução do capitalismo e do cristianismo
         Fim do modo de vida tradicional das populações africanas


0 comentários:

Postar um comentário